Pelos Caminhos de D. Teresa – Roteiro Turístico de Guimarães a Toledo é o mais recente livro de Isabel Stilwell. A escritora e jornalista leva-nos numa viagem pelos seus hábitos e descobertas até à antiga capital de Espanha.

Passo o dedo no ecrã do telemóvel para abrir a aplicação da meteorologia e lá está Toledo, o sol a brilhar, e a previsão de uma noite de céu limpo e, acrescento eu, cheio de estrelas até ao infinito. Registei a cidade há quase dois anos, quando a visitei, e de vez em quando vou lá espreitar, num desejo infantil, ao estilo daquelas séries de ficção científica em que nos podemos desmaterializar e aparecer do outro lado, nas ruas estreitas e inclinadas, as portas de gigante, todas tão diferentes e magníficas, no silêncio da sinagoga com as suas colunas a lembrar árvores de uma floresta, numa esplanada, com vista sobre as casas que descem para o rio, para o «nosso» rio Tejo, que circunda esta quase ilha por três lados.

Desde que comecei a escrever romances históricos, já há quase dez anos, que as visitas aos lugares passaram a ter outro sentido: procuro nos sítios as marcas da personagem que persigo e, num primeiro momento, quase que fecho os olhos a tudo aquilo que não é da época que investigo, para não deixar que umas histórias contaminem outras.

Desde que comecei a escrever romances históricos, já há quase dez anos, que as visitas aos lugares passaram a ter outro sentido.

Por isso era Toledo medieval que me interessava, era D. Teresa e o seu pai que procurava, o grande Afonso VI de Leão e Castela, que se tornou imperador de todas as Espanhas quando, em 1085, tomou a poderosa cidade moura, abrindo a porta à reconquista da Península ocupada pelo «infiel».

Leia a reportagem completa na edição de dezembro,
ou no quiosque digital.

Fotografias Direitos Reservados