Reinhold Messner inaugurou o seu sexto e último museu, na região do Tirol. Uma declaração de amor às montanhas daquele que é considerado o maior alpinista de todos os tempos.

Foi o primeiro a escalar 14 picos acima dos 8 mil metros de altitude. O primeiro a escalar o Evereste sem oxigénio. O primeiro a fazê-lo sozinho. Viver do passado não lhe pareceu, ainda assim, um projeto de vida suficientemente ambicioso, por isso decidiu construir seis museus na parte italiana do Tirol, a região que o viu nascer.

Reinhold defende que as montanhas têm uma dimensão cultural e que estes museus ajudam a compreender melhor não só a nossa geografia como a nossa própria identidade. O primeiro abriu em 2006, já o último dos seis (Corones) foi agora inaugurado. Ele diz que é mesmo o último, se bem que os mais próximos garantam que não conseguirá ficar por aqui. Um edifício situado a 2000 metros de altitude, com design contemporâneo e uma enorme superfície de vidro que alguns críticos já apelidaram de esconderijo perfeito para James Bond. Escusado será dizer que a vista é única (em Itália mas já com cheiro a Áustria), podendo ser visitado individualmente ou em conjunto com os restantes museus.
messner-mountain-museum.it

O Museu de Corones está aberto todos os dias da semana entre as 10h00 e as 16h00. Entrada: 8 euros para adultos, metade para as crianças.

Texto de João Ferreira Oliveira - Fotografias Direitos Reservados