O Capa Negra veio para a Baixa e trouxe as iguarias que lhe deram fama – francesinhas e rissóis incluídos. De caminho, acrescentaram algumas inovações para turistas. E uma boutique de cerveja.

Os famosos rissóis de carne e as francesinhas do Capa Negra II chegaram ao coração do Porto. O Capa na Baixa abriu no início do mês, prometendo fazer ainda melhor o que já fazia no Campo Alegre, com a vantagem acrescida da localização central.

A ideia já andava há muito tempo na cabeça de Nuno e Ana Fontes, filhos de Amadeu Fontes, um dos fundadores do Capa Negra II. «Há muita cozinha de autor na Baixa, mas há poucas cervejarias – e boas, menos ainda», assegura Nuno. «A ideia foi pegar no que já fazemos bem e acrescentar algumas coisas que se adaptassem às caraterísticas da zona.» A pensar no turismo apostaram na cozinha italiana e contrataram um pizzaiolo. E decidiram fazer do Capa uma cervejaria original. «Quisemos criar uma boutique de cerveja, com peças de museu e uma beer-drive personalizada com os barris à vista», explica. Para tal conceberam, com a ajuda da Unicer, uma peça única e exclusiva com torneiras de cerveja que servem em pressão toda a gama artesanal da cervejeira.

Outro dos destaques da casa é o pátio interior que funciona como sala principal e tem mesas circulares, bem como as convidativas cabinas com sofás. Na realidade, o pátio é mais um jardim, com chão ao estilo de calçada portuguesa, flores, plantas e uma fonte. Na parte tradicional do Capa Negra também houve mexidas. Uma nova torradeira para o pão da francesinha ficar «ainda mais estaladiço ». E, para os bifes, foi instalado um forno a carvão com temperatura constante que pode atingir os 500 graus centígrados. A francesinha 2.0.

Capa na Baixa (by Capa Negra)
Praça D. João I, 175 (Baixa)
Tel.: 223321020 Web: www.capanabaixa.com
Das 11h00 às 00h00; sexta e sábado até às 02h00. Encerra ao domingo.
Preço médio: 15 euros

Texto de Tiago Rodrigues Alves - Fotografias de Pedro Granadeiro/Global Imagens