É o maior navio de cruzeiro do mundo e já levantou âncora. O Harmony of the Seas deixou esta semana a cidade portuária de Southampton, no Reino Unido, tendo a Holanda como destino, para um cruzeiro que promete ser o primeiro de muitos. Com capacidade para seis mil passageiros, ofertas não faltam a bordo da embarcação com mais de 362 metros de comprimento (mais 50 metros que a Torre Eiffel) e 227 mil toneladas de peso.

Mas desenganem-se os que pensam que é mais um navio de cruzeiro. As características do Harmony of the Seas conferem-lhe o estatuto de um mega resort flutuante, o maior hotel da Europa, como tem sido apelidado. Senão veja-se: um complexo de escorregas de água, três zonas com piscinas, um anfiteatro, restaurantes, lojas, um bar biónico, com empregados de mesa robotizados, um solário, um ringue de patinagem no gelo, um centro comercial.

Para os mais radicais, o Ultimate Abyss, que em português podemos traduzir como o Abismo Final, um emaranhado de escorregas que caem de uma altura de dez andares, desde quase o topo do navio até um dos convés mais baixos; para os amantes da cultura, o teatro, com 1.380 lugares, oferece Grease e Columbus, musicais da Brodway. Mas há também ofertas para os amantes de jazz, do stand-up comedy, um casino, para quem quiser arriscar a sorte, um bar de karaoke e mais de uma dúzia de ofertas gastronómicas, assinadas por nomes bem conhecidos, como o chef Jamie Oliver.

Depois da viagem à Holanda, o navio ruma a Barcelona, que lhe servirá de base e de onde partirá para 34 viagens de sete noites pelo Mediterrâneo. No inverno, tem partida marcada para a Florida e para as Caraíbas.

royalcaribbean.pt

Texto de Carla Marina Mendes - Fotografias Direitos Reservados