Cuyperspassage. O nome pode ser difícil de pronunciar e decorar, mas a obra é daquelas que dificilmente se esquecem. Mesmo que demore pouco mais de um minuto a atravessar. Bem menos se formos de bicicleta.

Um túnel com aspeto futurista que passa por baixo da incontornável Central Station (construída em 1880), e que liga o centro da cidade até junto das águas do rio Ij. Um excelente exemplo de como é possível fazer arte mesmo numa obra que tem como objetivo facilitar a circulação.

Calcula-se que ali passem cerca de 15 mil pessoas por dia. Com duas zonas distintas, uma para os peões e outra para as bicicletas, tem cem metros de comprimento, dez metros de largura, três de altura e uma obra de arte nas paredes que obriga quase toda a gente a parar para fazer a fotografia da praxe: um mural com 80 mil azulejos inspirado numa obra do século XVII, autoria de Cornelis Bouwmeester, holandês famoso pelas suas pinturas marítimas.

Quem quiser ver a obra original pode sempre visitar o Rijksmuseum, o museu nacional. Fica apenas a uma curta viagem de bicicleta.

Por João Ferreira Oliveira - Fotografias Direitos Reservados