Especiarias, areia fina e ouro olímpico

No ranking da glória olímpica, ocupa uma posição tão modesta quanto a sua dimensão geográfica. Contudo, basta um exercício de estatística para inverter a ordem: em média, Grenada tem no palmarés nada menos do que uma medalha de ouro por cada 110 mil habitantes.

Portugal precisaria de cem campeões (teve quatro) para igualar a marca grenadina – e até os EUA, que dominaram por 1072 vezes, teriam de fazê-lo noutras duas mil ocasiões. Um potentado atlético, portanto, mesmo tendo ganho apenas uma vez.

No campo das especiarias, a pequena nação domina: é o segundo maior exportador de noz-moscada, um terço da produção mundial. Não só tem algumas das praias menos lotadas das Caraíbas, como mantém mais de metade dos seus 345 quilómetros quadrados de área cobertos de floresta. É uma das ilhas mais seguras da região e preserva uma preciosa capital, St. Georges, com cinco mil habitantes, que junta herança colonial, beleza natural e um dos portos mais bonitos das Caraíbas.

Grenada
12°03’08”N 61°45’03”W

Texto de João Mestre - Fotografias Direitos Reservados