Na 23.ª edição dos World Travel Awards, que decorreu nas Maldivas, o evento premiou a nível mundial os melhores exemplos de boas práticas no sector do Turismo.

Criados em 1993, os prémios representam uma das distinções mais importantes que as empresas do setor turístico podem receber, entregues por uma marca reconhecida como selo de qualidade. A votação é realizada pelo público em geral e também por profissionais do Turismo. Quanto ao melhor destino de lua-de-mel do mundo, o prémio foi entregue às Seychelles.

Seychelles

Apesar das 115 ilhas de que dispõe o arquipélago, a maioria dos mais de noventa mil habitantes das Seychelles estão reunidos em apenas três. Entre estas, Mahé é a maior e a mais povoada. Além de algumas praias impressionantes, que contribuem para a imagem de marca do país, é nesta ilha que fica Vitória, a capital.

(Foto de Paulo Barata)

Silhouette é uma das ilhas que fica diante de Mahé. Aí, na ilha grande, a partir da praia de Beau Vallon, o Sol põe-se ao fim da tarde por detrás dos contornos de Silhouette. Às quartas-feiras, essa é uma imagem a que muita gente assiste porque é nesse dia, a essa hora, que tem lugar um mercado que enche a praia de bancas com produtos e comidas locais, crioulas.

A ilha de La Digue tem muitas praias extraordinárias. Quase todas estão localizadas em baías, grandes ou pequenas, com nomes como: Severe, Papate, Marron, Pierrot, entre outras. Escolher preferências será uma opção individual e subjetiva. A Anse Source d’Argent é a mais conhecida. No caminho até ao areal, passa-se por um antigo cemitério de lápides cobertas por vegetação tropical, com o mar em fundo. Esse caminho é, também, um dos lugares onde se pode ver tartarugas gigantes.

Sainte Anne é uma imagem das Seychelles atuais. A pouca distância de Vitória, cerca de dez minutos de barco, Sainte Anne proporciona longas caminhadas entre vegetação cerrada, mergulho em águas vítreas de peixes tropicais ou, para quem quiser descontrair absolutamente, praias de mar, areia e silêncio.

 

Dicas

Moeda: Rupia das Seychelles – 1 euro = 14,8 SCR (euro geralmente aceite)
Fuso horário: GMT +3
Idioma: Creoulo, Inglês e Francês
Quando ir: de outubro a março o vento de noroeste traz menos chuva; de abril a setembro, é de sudeste que o vento sopra, trazendo mais humidade e força para velejar.
Ir: A Emirates (emirates.com) voa de Lisboa para as Seychelles, com escala no Dubai, todos os dias a partir de 1000 euros por pessoa e por percurso.

Visitar

Victoria: É a mais pequena capital do mundo, sendo muito fácil de descobrir os principais pontos de interesse. O relógio que é réplica em tamanho reduzido do londrino Big Ben serve de rotunda ao trânsito da cidade. O Mercado central é de visita obrigatória para quem gosta de produtos frescos e exóticos. O templo hindu, junto ao Mercado, também faz parte do roteiro de quem visita Victoria. É uma cidade bem organizada, segura e com algum encanto, a fazer lembrar em dados momentos e locais as latitudes das Caraíbas e a sua herança colonial francesa e inglesa.

Beau Vallon
Todas as quartas-feiras, nesta praia, realiza-se um mercado de rua onde poderá provar os melhores petiscos das Seychelles a preços bastante em conta, quando comparados com o que se passa no resto do país. Além disso, esta praia na ilha de Mahé é o local indicado para assistir e fotografar/filmar o pôr do Sol.

(Foto de Paulo Barata)

Comer

A cozinha creola tem de ser destacada – e provada. Pratos como a salada de polvo, o caril do mesmo com côco ou as inúmeras variedades de peixe grelhado. Entre as muitas variedades de caril, destaque para o do morcego da fruta, um prato tradicional nestas ilhas. Em Mahé, destacamos os restaurantes Marie Antoinette (Victoria) e Plage (Beau Vallon). O primeiro pela tradição, o segundo pela localização na praia.

Redação - Fotografias Direitos Reservados