Cabo Verde

Águeda de Burgo é uma engenheira do ambiente portuguesa, que saiu de Portugal para encontrar melhores oportunidades de trabalho na terra que foi do seu pai, Cabo Verde.

Ali, ainda tem família, o que ajudou na transição. Foi uma espécie de voltar a casa mais do que uma migração. «Portugal deixou de ser um país atrativo do ponto de vista profissional, o que me levou a procurar soluções viáveis. A proximidade com Cabo Verde acabou por ditar a escolha, sabendo que se não resultasse tentaria outras soluções», conta.

Um dos fatores de atração foi o clima – «por gostar do ambiente de primavera-verão o ano inteiro». Cabo Verde tem «o estatuto de emergente, é um país de África com muita estabilidade política, bons recursos tecnológicos e onde há muito para fazer na minha área profissional (agora, a engenharia do ambiente e segurança e saúde do trabalho)».

Outra das atrações de Cabo Verde é a quase ausência de stress, a noção de tempo parece divergir das grandes cidades, permitindo o usufruto da beleza natural das praias, degustar bons petiscos locais e «celebrar a vida ao som de uma tocatina, expressão usada por estas paragens para uma sessão de música ao vivo improvisada».

Texto de Catarina Vasques Rito
Fotografias Direitos Reservados

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.