Ir à Antártida e ficar alojado num acampamento com todas as comodidades? Sim, é possível, no Whichaway Camp. Não está ao alcance de todos, mas é sabido que sonhar não custa.

Se há locais no planeta que foram feitos apenas para ser visitados e não para se viver, a Antártida aparece no topo da lista. Uma região de tal forma gelada que nem sequer tem população permanente, apenas alguns cientistas e exploradores sequiosos de conhecimento e aventura. Como os donos do Whichaway Camp. Um trio de amigos que, em 2006, ficou preso durante uma travessia devido a uma tempestade. Quatro dias acampados, com poucos mantimentos, em que chegaram a temer pela vida. Mas do pesadelo ao sonho pode ir apenas uma ideia de diferença. Foi precisamente nessa altura que sonharam abrir um acampamento em que nada faltasse.

Cerca de um ano depois não só criaram o Whichaway Camp, uma série de seis iglôs (de luxo, é claro, e à prova de frio) como começaram a organizar diversos tipos de programas através da empresa White Desert. É possível fazer kite skiing, ice climbing (que é como quem diz escalar montanhas de gelo), voos de helicóptero sobre os glaciares, visitar colónias de pinguins-imperadores ou ir até ao polo sul. Isso mesmo. Do acampamento até ao ponto mais meridional do planeta são apenas sete horas de viagem de avião. Para cada lado. Uma insignificância para quem já chegou tão longe.

Preço: O pacote mais em conta (6 noites de alojamento) custa 63 mil euros por pessoa. Já oito noites com direito a ida até ao polo sul custa 77 500 euros. A estes valores há que acrescentar os voos para a Cidade do Cabo e da Cidade do Cabo para a Antártida.

white-desert.com

Texto João Ferreira Oliveira – Fotografias Direitos Reservados


Veja também:
Acampar em tendas de luxo em destinos de sonho

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.