Emirates disponibiliza tablets a bordo em voos para os EUA

Desde 6 abril, os passageiros da Primeira Classe e Executiva da Emirates poderão utilizar tablets da companhia aérea a bordo de voos para os Estados Unidos.

É mais um serviço para diminuir o impacto da recente diretriz do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos, que exige que todos os passageiros que viajem em voos sem escala do Dubai para os EUA, não transportem portáteis, tablets e outros aparelhos eletrónicos maiores do que um smartphone.

Estas medidas estão a afetar nove companhias aéreas, a maioria do Médio Oriente: Royal Jordanian, Egypt Air, Turkish Airlines, Saudi Airlines, Kuwait Airways, Royal AirMaroc, Qatar Airways, Emirates e Etihad Airways.

A proibição dos aparelhos eletrónicos estará ligada a uma ameaça relacionada com o grupo Al-Qaida na Península Arábica, ativo no Iémen, indicou a televisão CNN citando um responsável norte-americano.

Tablets e smartphones proibidos em voos para o Reino Unido
Na sequência desta decisão por parte dos EUA, no mesmo dia também o governo britânico anunciou a proibição de computadores portáteis e outros dispositivos eletrónicos na bagagem de cabina dos voos diretos para o Reino Unido a partir da Turquia, Líbano, Jordânia, Egito, Tunísia e Arábia Saudita.

Todos os dispositivos incluídos no bloqueio, que respeitam dimensões muito especificas, terão de ser guardados na bagagem de porão antes de os passageiros passarem pela segurança do aeroporto.

A medida anunciada afeta seis companhias aéreas britânicas: British Airways, EasyJet, Jet2.com, Monarch, Thomas Cook e Thomson. E oito estrangeiras: Turkish Airlines, Pegasus Airways, Atlas-Global Airlines, Middle East Airlines, Egyptair, Royal Jordanian, Tunis Air e Saudia.

Por N.M.G.

Veja também:
Vai aos EUA? Cuidado com o que partilha nas redes sociais
É isto que acontece quando não liga o modo de voo