Conceitos de arte incríveis, bizarros e originais, no edifício de um banco abandonado, na rua mais famosa da cidade. The Haus é a mais recente galeria de Berlim e tem atraído milhares de pessoas, que não se importam de esperar uma hora na fila para entrar.

Há ainda um outro pormenor que é preciso referir e que a torna ainda mais única: The Haus foi criada para ser destruída. Estranho? Possivelmente, mas a ideia é mesmo essa: aproveitar um espaço abandonado e permitir que artistas de arte urbana deem asas à imaginação.

É chamada de «universo paralelo mesmo no centro de Berlim», e tem obras de 165 artistas de todo o mundo espalhadas pelos seus cinco andares. Cada artista ou crew recebeu uma sala, que depois sofreu uma metamorfose. Ali, havia apenas duas regras a cumprir: o suporte da obra era o próprio espaço, e o objetivo era criar algo tão fora do normal, que os visitantes se sentissem obrigados a falar sobre aquela experiência visual.

Os artistas trouxeram as ruas para o antigo banco, construíram esculturas e instalações de vídeo, criaram realidades virtuais, e usaram fotografias e ilustrações para se expressarem. Tudo isto feito exclusivamente para esta galeria temporária que espantará quem a visitar.

O projeto foi iniciado pelos Die Dixons, uma crew de arte urbana, que tinha como objetivo espalhar a mensagem de que «não interessa quem tu és, qual é o teu nome ou o que fazes, arranja tempo para criar coisas pessoais e usa-as para experienciar algo criado, antes que seja tarde de mais».

O edifício foi cedido pela empresa de construção de apartamentos de luxo Pandion, com sede em Colónia, na Alemanha, que desde logo recebeu o projeto The Haus de mãos abertas. «Quando os artistas nos apresentaram esta ideia, ficámos imediatamente entusiasmados com o conceito e muito animados com a realização dele neste espaço», afirmou Mathias Gross, gerente da PANDION Berlin.

Em agosto de 2017, o antigo banco na rua Kudamm vai ser demolido e, com ele, será também destruída a galeria The Haus e todas as suas peças de arte. No mesmo lugar, irá nascer um condomínio de luxo com 75 apartamentos.

Até lá, o custo da entrada fica ao critério de cada um. No entanto, poderá fazer uma visita guiada por 10 euros, disponível em alemão e inglês. Contudo, não poderá ficar com recordações físicas desta exposição. Não é permitido tirar fotografias dentro do edifício e é pedido a todos os visitantes que guardem os seus telemóveis.

The Haus está aberta de terça a domingo, até ao fim de maio.

Por Mafalda Magrini – Fotografias Direitos Reservados

Veja também:
Berlim por José Luís Peixoto
Art Brussels está prestes a começar

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.