É um hotel, chama-se Frying Pan Tower e fica a pouco mais de 54 quilómetros da costa da Carolina do Norte, no meio do Oceano Atlântico.

O Frying Pan Tower funcionava como estação de luz da Guarda Costeira e localiza-se na área chamada de «Cemitério do Atlântico». Nessa zona, as águas são rasas – com cerca de 50 metros de profundidade -, o que tornou o local de difícil navegação. A torre ajudou a iluminar o caminho para milhares de navios, durante mais de um século. Nos anos 1970, foi remodelada e passou a funcionar como farol automatizado. Depois de ter sido considerada obsoleta, a Guarda Costeira abandonou a torre em 2004.

A Frying Pan Tower acabou por ser posta de lado até 2010, quando Richard Neal, um engenheiro de Mint Hill, Carolina do Norte, viu um anúncio num site de excedentes do governo. O preço inicial era de 500 mil dólares, mas uma avaliação da propriedade não chegou a ser concluída até à data da compra. O leilão anterior caducou e Richard conseguiu comprar a Frying Pan Tower por 85 mil dólares. Foi então que começou o processo de restauração da torre.

O hotel é descrito como algo entre um acampamento e uma casa de praia. O antigo farol tem 26 metros de altura e oito quartos (cinco com camas de solteiro e três com camas de casal). Não é uma propriedade de luxo, mas a experiência de acordar no meio do oceano é única.

Há vários pacotes que incluem viagem de helicóptero até ao hotel e de regresso a terra (a partir de 1100 euros por pessoa). As estadas podem ser de três dias (560 euros para duas noites, com refeições e transporte de barco incluídos) ou de um mês (4 660 euros por hóspede).

fptower.com


Veja também:
Hotéis de sonho para dormir na natureza
Estes são os hotéis mais estranhos do mundo

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.