Os pilotos e as assistentes de bordo são fundamentais para garantir a segurança aérea, mas há um grupo menos visível de pessoas que são igualmente essenciais: os controladores de tráfego aéreo.

Esta é uma profissão de risco a nível de stress, podendo, por vezes, originar o CIS (Critical Incident Stress) – um stress agudo, provocado por um acumular de tensão.

Mas há muito mais para saber sobre o controlo do tráfego aéreo. Descubra alguns factos e curiosidades:

1. O tempo no verão é pior do que o clima de inverno
«Aquilo com que mais nos preocupamos e com o qual temos de lutar é o clima, e é no verão, quando as tempestades aumentam, que temos mais dificuldades», afirmou Martin Rolfe, CEO da NATS (National Air Traffic Services do Reino Unido). «A maioria dos pilotos não voa com tempestades. Não só incomoda o passageiro, como pode também ser bastante perigoso. Os relâmpagos não são o maior problema – mas sim a turbulência e os poços de ar. Temos o nosso próprio programa de meteorologia Met Office, mas apesar de estarmos a melhorar a nível da previsão, ainda é um pouco uma zona obscura».

2. Os aviões pequenos intersetam as rotas dos grandes aviões de passageiros
«Em geral, somos capazes de localizá-los, às vezes com a ajuda da Autoridade de Aviação Civil (CAA), e conversamos com eles», disse Rolfe. «Por vezes, os pilotos de aviões pequenos perdem-se porque algo acontece ou não se informam bem sobre as suas rotas, acabando por entrar e voar no espaço aéreo controlado. Quando isso acontece, temos de desviar os grandes aviões para uma rota diferente».

3. França é o único país que não usa a língua inglesa no tráfego aéreo
A língua internacional para a comunicação entre pilotos e controladores do tráfego aéreo é o inglês. Mas os franceses insistem em comunicar na sua língua.

4. A idade dos controladores aéreos é muito importante na profissão
Os controladores de tráfego aéreo devem ter boa visão, uma mente astuta e a capacidade de pensar rápida e claramente sob pressão. A FAA (Administração Federal de Aviação), entidade governamental dos Estados Unidos, exige que tenham 30 anos ou menos quando se candidatam a esta profissão, devendo reformar-se aos 56 anos, antes que a maioria deles sofra qualquer problema psíquico relacionado com a idade.

5. Os controladores de tráfego aéreo têm a sua própria linguagem
Pilotos e controladores de tráfego aéreo de todo o mundo devem falar inglês para comunicarem entre eles (é exigido pela Organização de Aviação Civil Internacional). Mas, além disso, também têm a sua própria linguagem relacionada com a aviação. Este sistema substitui letras (A a Z) e números (zero a nove) por palavras-chave, minimiza a confusão e os mal-entendidos entre os controladores de tráfego aéreo e os pilotos.

6. Os objetos voadores não identificados existem mesmo
Durante a sua profissão, a maioria dos controladores de tráfego aéreo encontrou (ou tem um colega de trabalho que encontrou) algum tipo de objeto voador não identificado. Estes avistamentos são mais comuns à noite, quando os controladores podem observar luzes desconhecidas a piscar, que não parecem provenientes de aviões. Mas estas observações estranhas não são necessariamente sinais da existência de extraterrestres – o radar é tão sensível que pode encontrar objetos como nuvens, um bando de pássaros, ou mesmo um grande camião no chão.


Veja também:
12 factos sobre os pilotos de avião que não sabia
Este é o lado secreto das assistentes de bordo

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.