A UNESCO classificou 21 novos locais como Património Mundial da Humanidade. Angola e o Brasil estão na lista, mas o (nosso) destaque vai para o Lake District, em Inglaterra, ideal para visitar no verão. O maior parque nacional do Reino Unido foi uma das primeiras viagens da Volta ao Mundo, em 1994.

O peso que se atribui à certificação da UNESCO de Património Mundial pode já não ser tão forte como há alguns anos, afinal a lista vai longa – com esta nova admissão são agora 1073 os sítios de interesse em todo o mundo – ainda assim, continua a ser notícia. Até porque tem grande impacto na preservação e na divulgação desse mesmo património.

Afinal, quantas pessoas conhecem o centro histórico da cidade angolana de Mbanza Congo? Ou a ilha chinesa de Kulangsu, roleta de mansões de estilo europeu? Ou o Cais do Valongo, antigo cais localizado do Rio de Janeiro? Apenas alguns dos (novos) destinos que vale a pena descobrir. Ou redescobrir, até porque nem todos são propriamente desconhecidos, como é o caso do Lake District, localizado no condado de Cumpria, em Inglaterra, mas já com Escócia no horizonte. O maior parque nacional do Reino Unido e agora também o primeiro classificado como Património Mundial.

A Volta ao Mundo já lá esteve e recomenda, sobretudo durante os meses em que a chuva e o frio não chegam. É ali que se situa a mais alta montanha do país – Scafell Pike, com 978 metros. E o maior lago natural: Windermere. Tem uma aura bucólica que inspirou escritores e um sem‑número de trilhos para quem quiser atividades ligadas à natureza. Caminhadas, escalada, canoagem, BTT, safaris noturnos, há de tudo. Nada como mergulhar no património… natural. Lista completa dos novos destinos em whc.unesco.org/en/newproperties.

No site do parque é possível programar várias atividades e marcas alojamento. Há desde hotéis de luxo, de charme, tendas de glamping ou de campismo selvagem. (lakedistrict.gov.uk/visiting)

Texto de João Ferreira Oliveira

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.