O histórico Hôtel de Crillon, em Paris, reabriu após quatro anos de renovação. Tem o dedo de Karl Lagerfeld e uma suite que custa 20 mil euros por noite.

Igor Stravinsky, Peggy Guggenheim, Charlie Chaplin, Arthur Conan Doyle, Andy Warhol ou Madonna são algumas das personalidades que aqui ficaram alojadas; Marie‑Antoinette tinha aulas de música no palácio, antes de ser hotel.

Nomes e mais nomes, a lista é infindável sempre que se fala deste espaço localizado no coração de Paris, no número 10 da Praça da Concórdia. Mas há também muita história, afinal foi o local onde se assinou (em 1778) o primeiro tratado franco‑americano e, mais tarde, em 1919, onde se formalizou a Liga das Nações, organização criada depois da I Grande Guerra.

Algumas pessoas estavam com receio de que nunca mais voltasse a abrir portas, até porque as obras de remodelação demoraram quatro longos anos, mas eis que este palácio mandado construir por Luís XV em 1758, e transformado em hotel em 1909, está de volta à ribalta.

Um trabalho liderado pelo arquiteto Richard Martinet e no qual participaram vários nomes conceituados, entre eles Karl Lagerfeld. Decorou uma suite e dois quartos. São agora 124 quartos no total, entre eles a suite Luís XV, com terraço privativo e vista para a Torre Eiffel. Custa cerca de 20 mil euros por noite. Mas não é preciso ficar alojado para ir ao restaurante, liderado pelo chef Christopher Hache, ou ao bar Les Ambassadeurs, para beber um cocktail. À grande e à francesa.

PREÇO: Quartos a partir de 1200 euros por noite
>> rosewoodhotels.com/en/hotel‑de‑crillon

Texto de João Ferreira Oliveira

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.