«Estar sentado é o novo tabaco». Estranho? Talvez. Há um estudo que prova que as pessoas que estão sentadas muitas horas – quer seja numa cadeira em frente a uma secretária ou num sofá – estão predispostas a morrer mais cedo.

A análise foi feita pela Universidade de Columbia e publicada no site Annals of Internal Medicine, e pretende demonstrar que a inatividade pode levar ao aumento dos riscos de morte prematura. Na verdade, as pessoas que se sentam à secretária durante todo o dia estão duas vezes mais predispostas a morrer cedo, mesmo com exercícios regulares, segundo este estudo conduzido por Keith Diaz, um dos investigadores da Universidade.

O estudo analisou os movimentos de cerca de 8000 adultos com mais de 45 anos, pedindo que eles usassem um acelerómetro na anca. Após 10 dias, a conclusão foi que uma pessoa com um estilo de vida sedentário passava cerca de 12,3 horas de um dia com 16 horas (calculando que oito horas são passadas a dormir) inativa. Ou seja, mesmo quando se está acordado, pode estar-se inativo durante cerca de 77% do dia.

Depois de acompanhar os participantes durante quatro anos, os dados mostraram que aqueles que passaram mais tempo sentados também foram os que morreram durante o estudo, mesmo depois de analisar outros fatores – como o tempo gasto em exercício físico. «Estar sentado é realmente o novo tabaco», afirmou a investigadora Monika Safford ao The Sun.

Se é uma dessas pessoas que passam longas horas sentado em frente a um computador ou a uma secretária, os investigadores deste estudo aconselham a que se mova a cada 30 minutos para ajudar a diminuir o seu risco. «Precisamos de formas criativas de garantir que não só reduzimos o tempo que passamos sentados, mas também aumentamos a atividade física regular», disse Safford.

Mas há quem vá mais longe e não se deixe ficar fechado num escritório «agarrado» a uma secretária. É o caso dos nómadas digitais, que embora possam ter de passar horas sentados em frente de um computador, estão constantemente a mudar de localidade. E uma mudança para um novo lugar é sinónimo de locais para descobrir e de menos tempo inativo.

Um computador, uma boa ligação wi-fi, trabalho freelancer e espírito de aventura. Este é o kit de sobrevivência dos nómadas digitais, uma geração que trabalha e viaja ao mesmo tempo. Saiba mais sobre «viajar e trabalhar: a combinação perfeita».

Fotografia de Bench Accounting, em Unsplash.com

Veja também:
11 países com a esperança média de vida mais elevada
10 dicas para viajar (quase) sem dinheiro