Na curva do rio estende-se, encosta abaixo, uma quinta com tudo o que esta altura do ano pede: uma boa história, vinhos de primeira água, uma vindima como perfeito pretexto para conhecê-los de perto e todo o Douro que se desejar.

A história de Sophia Bergqvist é assunto multinacional: nasceu em Inglaterra, cresceu no Douro e nas suas veias corre sangue sueco, francês, alemão. Esta quinta junto ao Pinhão foi parar às mãos da sua família como presente, em 1906. Celebrava-se o batismo de Claire, sua avó, pelo que a quinta ficou com nome de menina. Detalhe que introduz um pormenor curioso: na La Rosa, os quartos (catorze, excluindo os cinco da Quinta Amarela) têm, na maioria, nome de mulheres da família Bergqvist.

Na casa principal, estão Dona Clara, Dona Sophia e Dona Juliet, que recebem hóspedes praticamente desde que a proprietária e o seu pai, Tim, tomaram as rédeas e reativaram o negócio vinhateiro dos Bergqvist, em finais dos anos 1980. Em 2012, juntaram-lhes sete quartos e três suites de dois pisos, que privilegiam o espaço, a decoração de gosto inglês sem excessos e, como não podia deixar de ser, a vista: de todos eles se vê o Douro. E, pela manhã, a luz natural entra sem pedir licença caso o hóspede, embevecido pela visão noturna do céu estrelado, se tenha esquecido de correr a persiana. Tanto melhor: que luxo é acordar com uma panorâmica destas…

De todos os quartos da casa da família Bergqvist pode ver-se o Douro e os socalcos talhados nas encostas.

Vindimar, pisar, provar
Durante este mês, a Quinta de La Rosa abre os seus portões a quem quiser juntar-se à «faina». O programa de vindima (mediante reserva, mínimo 6 pessoas) começa às 15h30, na vinha e de tesoura na mão. Segue-se a visita à adega e ao armazém (curiosidade: esta é uma das poucas quintas que envelhecem os seus portos no Douro) e a prova de seis vinhos, três deles portos. Ao início da noite é servido um jantar vínico, num terraço com magníficas vistas de Douro, e às 21h00 é hora de voltar ao trabalho, com a pisa das uvas. No final, uma recordação em jeito de «gabarolice»: todos os participantes recebem uma T-shirt com a inscrição «I Trod La Rosa» («eu pisei La Rosa»). Preço por participante: 50 euros.

O hotel
Quinta de La Rosa
EM590, Pinhão
Tel.: 254732254
Web: quintadelarosa.com
Preço: Quartos duplos a partir de 100 euros por noite

Texto de João Mestre - Fotografias de João Manaia Rato