Fomos às Furnas e não comemos cozido. Sim, é possível, desde que se escolha o sítio certo. Nas antigas termas descobrimos que há vida para além da atividade geotérmica.

O Furnas Boutique Hotel Thermal & Spa é o resultado de profundas obras de remodelação de antigas termas e faz parte da rede mundial Design Hotels. 

Águas termais, cozido, jardim botânico e parque Terra Nostra. Durante muito tempo, a ida à vila das Furnas tinha como objetivo visitar um destes locais ou provar o prato tradicional desta região na ilha de São Miguel. Pois bem, desde junho passado (abertura oficial), esta freguesia do concelho da Povoação tem um encanto acrescido – o Furnas Boutique Hotel Thermal & Spa. Ou melhor, dois motivos suplementares de interesse. É que na unidade hoteleira abriu um restaurante que tem tudo para se afirmar como uma das melhores ofertas de todo o arquipélago, o À Terra e o seu forno a lenha. O hotel é o resultado de profundas obras de remodelação das antigas termas e faz parte da rede mundial Design Hotels. O início desta nova vida começou com uma abertura suave – soft opening, para usar o jargão do setor – na primavera passada. Desde então, a curiosidade em relação ao Furnas Boutique não parou de aumentar. Afinal, trata-se de um novo hotel na região onde existe a maior concentração de águas termais da Europa. Quem o diz é a Discovery Hotel Management, empresa responsável pela gestão deste projeto.

Do complexo termal restam as linhas arquitetónicas principais do edifício e as memórias. Hoje, o hotel tem 55 quartos, spa com piscinas termais, salas de tratamento, bar e loja de artigos regionais. Sobre o restaurante, já lá vamos, que o melhor guarda-se sempre para o fim.

À entrada, a primeira surpresa. O lobby não o parece. Está lá o balcão elevado, com o solícito funcionário, mas as parecenças com os outros hotéis ficam-se por aí. É que as águas aromatizadas, as fotografias da natureza e a receção que combina mercearia com bar são boas razões para não querer subir imediatamente para os quartos. O check-in é feito, pois, sem o formalismo de outros locais. E isso sabe bem quando se chega a um local onde a comunhão com a natureza faz todo o sentido. A pensar nisso, o hotel tem preparadas atividades para os seus hóspedes: passeios de bicicleta ou a pé, observação de cetáceos, piqueniques, pesca ou mergulho em alto-mar.

No restaurante À Terra, tudo sabe a comida de casa – comfort food, como dizem os especialistas na matéria.

Os funcionários são 44 e têm um objetivo em mente: fazer-nos sentir bem. Conseguem- -no sem grande esforço. Eles e a decoração de interiores. Além dos quartos, o destaque vai para uma sala de reuniões especial. Não faltam baús de viagem – a recordar a emigração açoriana para o mundo – e uma mesa de matraquilhos, para descontrair.

E chegamos ao restaurante. À Terra, com o chef Hugo Ferreira a liderar uma equipa com João Fevereiro, João Carvalho e Rúben Pereira. Sentamo-nos ao balcão, virados para a cozinha e para o forno a lenha. E começa o espetáculo. A placa de «reservado», sobre as mesas, é um pão de queijo comestível. A seguir vem o couvert: baba ganoush (salada à base de puré de beringela) especial do À Terra. As entradas passam por lollipops de frango com molho de tomate caseiro e sementes de papoila e croquetes de leitão com soja e ketchup artesanal. Tudo sabe a comida de casa – comfort food, como dizem os especialistas na matéria.

O peixe chega ao balcão – o melhor lugar da casa – com sashimi de barriga de serra com iogurte local. A planta-do-gelo vem da Terceira e é uma surpresa para o palato, tal como a cavala com guacamole. Bife de atum com batata-doce e molho tártaro deixam qualquer desarmado, tal como a calzone de bacalhau de coentrada. Quando tudo parece perfeito, chega o polvo com morcela. «Chega!», pedimos à equipa do À Terra. Ainda falta a pièce de résistance: entrecosto com inhame, picles caseiros, cebola, cebolinho e pevides. Desfaz-se na boca. Estamos rendidos, mas ainda tem de caber a tarte de limão. Consta que ao domingo é o sunday roast. Vamos ter de voltar.

Hotel

Furnas Boutique Hotel Thermal & Spa
Avenida Dr. Manuel de Arriaga, Furnas (Povoação), São Miguel
Tel.: 296249200
Web: furnasboutiquehotel.com
Preço: Quarto duplo a partir de 90 euros por noite com pequeno-almoço
Preço médio (rest.): 25 euros

Mergulhar

Poça da Dona Beija
Basta seguir as placas com a indicação Poça da Dona Beija. O nome vem das novelas brasileiras e está ligado à cascata onde essa personagem se banhava. Faz parte de um conjunto de nascentes férreas e quentes típicas da caldeira do vulcão das Furnas e a água atinge a superfície a uma temperatura média de 39°C. A nascente fornece água para três piscinas com temperaturas diferentes.
Web: pocadadonabeija.com
Horário: Das 07h00 às 23h00. Não encerra.
Preço: 2,50/3 euros (criança/adulto)

Ver

Lagoa das Furnas


Ali bem perto está a lagoa em cujas margens é tradição cozinhar-se o prato da região: cozido à portuguesa debaixo da terra. Às aguas ferventes tratam da confeção. Desde 1 de março deste ano, a Câmara Municipal da Povoação anunciou a entrada em vigor de tarifas para a confeção do cozido e utilização do espaço envolvente à lagoa. Os residentes locais estão isentos, os restantes pagam 50 cêntimos. Cada panela tem o custo de três euros (2,50 para empresários da restauração). Nas proximidades encontra-se também a Capela de Nossa Senhora das Vitórias, inaugurada em agosto de 1886 e pensada para ser o mausoléu de José do Canto, intelectual açoriano do século XIX.

 

Texto de Ricardo Santos - Fotografias de Fernando Marques