Felix Russell-Saw on Unsplash

Viajar e trabalhar ao mesmo tempo é um dos seus sonhos? O The New York Times está à procura de um profissional para viajar pelo mundo durante um ano.

O jornal norte-americano recomenda, anualmente, 52 lugares onde ir – um para explorar em cada semana. A lista é uma previsão ambiciosa das praias que permanecerão intocadas, das cidades que vão estar na moda e dos tesouros culinários que valem realmente a pena uma visita.

Este ano, o The New York Times quer ir mais longe e contratará uma pessoa que transformará essa lista num itinerário. O correspondente irá a todos os destinos, e contará a história de cada lugar e a sua experiência na estrada.

O candidato ideal é, assim, um estudante permanente da vida e um documentarista do mundo. Essa pessoa deverá ter um passaporte bem recheado, a capacidade de «cair de paraquedas» em qualquer lugar, e de mostrar o mundo e aquilo que nele se passa, de forma convincente, com palavras e imagens.

A experiência em jornalismo é necessária – o The New York Times exige que o viajante tenha trabalhado numa revista, empresa editorial, jornal, publicação digital, ou outra empresa ligada aos media. Terá também de ser fluente em inglês, ter conhecimentos em redes sociais e facilidade em trabalhar com dispositivos digitais. A familiaridade com outras línguas estrangeiras é uma vantagem, embora não seja um requisito.

Além de tudo isto, as qualificações obrigatórias incluem ter viajado para vários destinos; ter uma viagem documentada por escrito, redes sociais ou noutro lugar; ser ativo nas redes sociais e poder comprometer-se a trabalhar durante um ano completo.

Para se candidatar, terá de ir ao site e responder a todos os requisitos.

Fotografia de Felix Russell-Saw em Unsplash

Veja também:
6 razões para se despedir do trabalho e viajar pelo mundo
Trabalhar e viajar ao mesmo tempo pode ser mais saudável