Durante os últimos quatro anos, Andrew Parker, um piloto de balões de ar quente de Hamilton, Nova Zelândia, tem viajado à volta do mundo com um objetivo. O projeto Flying High for Kids (voar alto pelas crianças) pretende chamar a atenção para a diversidade cultural e para o direito à educação que todas as crianças devem ter.

Andrew começou a interessar-se por balões com apenas seis anos de idade. Aos 13, ingressou no clube da sua cidade, e aos 16 pilotou um balão pela primeira vez. A partir daí, nunca mais parou. Da Europa à América do Norte e do Sul, passando pela Ásia, Andrew visitou 38 países. Criador de uma empresa particular associada ao ramo, acabou por vendê-la para se dedicar a projetos sem fins lucrativos.

Em dezembro de 2013, iniciou a Flying High for Kids. O objetivo é chegar a 70 países. Usando a marca da UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância), Andrew amarra o seu balão em escolas e outros locais para conseguir fundos para as diferentes instituições. O projeto envolve ainda outra ideia: servir de pombo-correio entre crianças de países diferentes, transportando postais e cartas que as ajudam a comunicar e trocar ideias entre si.

«Comecei a pensar no projeto em 2010, e foi um sonho tornado realidade quando ele teve início. Pilotei balões em muitos países, mas nunca tinha tido a oportunidade de lançar um projeto com esta escala. É uma sorte conseguir associar a minha paixão por balões à oportunidade de inspirar as crianças a seguirem os seus sonhos. Muitas das crianças que encontrei nunca tinham visto um balão de ar quente, e é um prazer imenso ver os sorrisos estampados nos seus rostos», contou Andrew.

Nos últimos meses, sobrevoou África, visitando o Egipto, o Sudão, Etiópia, Quénia, Uganda, Ruanda, Malawi, Zâmbia, Zimbabwe, Botsuana e África do Sul. No próximo ano, a ideia é levar o balão de barco da África do Sul até à Colômbia, de onde partirá para a América Central e do Norte. Andrew estima que daqui a pouco tempo possa atingir 25 mil crianças, além de professores e comunidades locais.

Através do seu site, é possível consultar o seu percurso e fazer donativos.


Veja também:
Viajar pelo mundo é a melhor educação para as crianças
Deixou de ser professor para viajar pelo mundo a fotografar animais em perigo

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.