Em muitos lugares, o transporte público é a opção mais barata, fácil, eficiente e rápida de andar pela cidade ou de se deslocar de casa para o trabalho e vice-versa.

E se há quem prefira – e tenha possibilidades para tal – evitá-los, há milhares de pessoas que os usam diariamente. Muitas vezes, os comportamentos de alguns indivíduos nos transportes públicos, principalmente turistas, desrespeitam a cultura, os valores e as regras de cada país. Por isso, as normas de conduta gerais que se aplicam à maioria dos autocarros e metropolitanos de todo o mundo, bem como outras regras menos desconhecidas mas igualmente importantes, devem ser tidas em conta. Comprar e validar um bilhete é apenas o início.

Fique a saber alguns factos e regras importantes em vários destinos, antes de entrar num autocarro ou no metro.

1. Entre mesmo que a carruagem esteja cheia – Tbilisi, na Geórgia, e Changsha, na China
Nestas duas cidades, os transportes estão tão cheios, que contorcer-se e enfiar o seu corpo num pequeno espaço disponível é o esperado – e quase obrigatório -, particularmente em horas de ponta, o que pode significar estar colado ao passageiro ao seu lado.

2. Carruagens para mulheres e crianças – Japão, Índia, Egito, Irão, Brasil, México, Indonésia, Filipinas, Malásia e Emirados Árabes Unido.
Em muitos países, os sistemas ferroviários e de metro oferecem carruagens destinadas a proteger mulheres e crianças pequenas, separando-as numa zona específica onde os homens não são permitidos. Estas carruagens são frequentemente rotuladas com etiquetas cor-de-rosa e, muitas vezes, só estão disponíveis em determinados momentos do dia. No México e na Malásia, existem autocarros destinados apenas a mulheres e, na Índia, comboios inteiros. No Japão, a maioria dos operadores também permite que os passageiros com deficiência e os seus acompanhantes entrem nas carruagens destinadas a mulheres.

3. Nunca se sente em lugares prioritários – Taipei, Taiwan
Sabe aqueles lugares destinados a mulheres grávidas ou com crianças pequenas, idosos e deficientes? Nunca – mas nunca – se sente neles, mesmo que estejam vazios. Os habitantes locais deixam-nos sempre livres para quem chega e nunca os ocupam. Se não quer ouvir uma repreensão, opte por ficar de pé ou por outros lugares destinados a todos os passageiros.

4. Não cruze as pernas – Tailândia e Médio Oriente
Nestes locais, apontar a ponta dos pés para os outros é considerado um insulto. E quando cruza as pernas acaba por fazê-lo: por isso mantenha os pés sempre no chão.

5. Dê prioridade aos monges Banguecoque, Tailândia
Quando um monge budista entra num transporte público, esteja pronto para lhe ceder o seu lugar, tal como fazem os locais. Além disso, se estiver numa estação às 8h ou às 18h, levante-se em sinal de respeito pelo hino nacional, que é tocado diariamente a essa hora.

6. Segure as portas – Paris, França
O sistema de metro de Paris é conhecido por uma razão – as portas geralmente abrem e fecham mais depressa do que a entrada da maioria das pessoas. Assim, embora não seja encorajado noutros lugares do mundo, segurar as portas para os passageiros que se aproximam é uma cortesia comum em Paris.

7. Deixe o seu jornal – Londres, Reino Unido
No metro, deixar o seu material de leitura para futuros passageiros é um gesto simpático. Mas é preciso lembrar que noutros países, como na Áustria e na Alemanha, isso equivale a lixo e não é bem-vindo.

8. Agradeça ao motorista do autocarro – Austrália, Canadá, Irlanda e Nova Zelândia
Em muitas comunidades (particularmente nas pequenas e médias cidades) da Austrália, Canadá, Irlanda e Nova Zelândia, os passageiros devem mostrar a sua gratidão aos motoristas, através de um pequeno gesto de agradecimento enquanto caminham para o lugar. Por vezes, podem acenar novamente quando saem do autocarro.

Os objetos mais estranhos deixados nos quartos de hotel


Veja também:
8 comportamentos que não deve ter à mesa nas suas viagens
Hábitos e comportamentos que não se devem ter no estrangeiro

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.