O nome «Ritz-Carlton» é sinónimo de luxo. Por todo o mundo? Talvez, mas seguramente que não é o caso na Arábia Saudita.

Durante meses, o luxuoso hotel de Riade, a capital do país, fechou portas e passou a funcionar como estabelecimento prisional – mas não uma prisão qualquer. O Ritz-Carlton recebeu mais de 200 presidiários – entre eles 11 príncipes (incluindo o Príncipe Al-Waleed Bin Talal), ministros, militares oficiais e investidores sauditas – que, segundo o governo, foram acusados de corrupção que envolveu biliões de dólares.

Agora, parece que tudo vai regressar à normalidade no hotel de cinco estrelas. A 14 de fevereiro de 2018, o Ritz-Carlton vai voltar a receber hóspedes de todo o mundo. Os preços por noite começam nos 530 euros. A cadeia de hotéis Ritz-Carlton tem mais de 90 hotéis de luxo em 30 países e territórios.

Os prisioneiros que ainda se encontram no hotel vão ser transferidos para Al-Hayer, uma prisão de alta segurança fora de Riade.

Veja as fotos, na fotogaleria acima. Já alguma vez imaginou uma prisão assim?

Os objetos mais estranhos deixados nos quartos de hotel


Veja também:
É possível dormir numa antiga prisão transformada em hotel
A melhor atração da Europa? Esta prisão é melhor do que a Torre Eiffel

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.