A Cidade do Cabo, na África do Sul, adiou a previsão de ‘Dia Zero’, o dia em que ficará sem água nas torneiras devido à seca prolongada, por quase um mês, para 11 de maio, anunciaram as autoridades locais.

O adiamento é devido ao declínio no uso de água para fins agrícolas, porque muitas quintas nalgumas províncias, que incluem a própria cidade, escolheram usar as reservas que lhes foram alocadas em vez de usar água corrente.

As autoridades avisaram os habitantes para, ainda assim, continuarem a cumprir as indicações oficiais, que limitam o uso de água a 50 litros por pessoa.

O ‘Dia Zero’ tinha inicialmente sido previsto para dia 11 de abril, depois adiado para dia 16. A grave seca que assola a zona é um fenómeno invulgar, já que não só deriva da escassez de precipitação que caracterizou a passada estação de chuvas (abril-outubro), como de o nível de chuva ter sido particularmente baixo também nos dois anos anteriores.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), só num duche de cinco minutos, gastam-se cerca de 100 litros de água.

O governo sul-africano tem online todos os cuidados que a população deve ter, assim como os turistas que visitarem a cidade. Há também um site onde cada pessoa pode calcular o uso diário de água, de acordo com os banhos, refeições, máquinas de lavar e higiene.

A Volta ao Mundo esteve na Cidade do Cabo em 2015 e trouxe uma reportagem bem completa, daquele que é um dos destinos mais fascinantes do mundo. Em 2016, voltámos ao país de Nelson Mandela para descobrir o norte: Joanesburgo, Pilanesberg e Sun City – cidade, vida selvagem e um luxuoso resort. Mas há mais: estivemos também no Kruger Park e em Sabi Sabi, uma das mais exclusivas reservas de África.

Lusa

14 destinos surpreendentemente baratos para visitar em 2018


Veja também:
Viagem ao Rio de Janeiro à descoberta da herança portuguesa
Birmânia: este é um dos destinos do momento

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.