Lima, Arequipa, Lago Titicaca, Cusco, Machu Picchu, Nazca, Paracas e muito mais. Sugestões de cultura, natureza, moda e património para descobrir num país místico.

Textos de Cláudia Carvalho e Ricardo Santos
Fotografia Leonardo Negrão e Ricardo Santos

Cultura e património

1. PARQUE DO AMOR, LIMA
Fica no distrito de Miraflores, uma das áreas mais turísticas da capital do Peru. É uma homenagem ao Parque Güell em Barcelona e tem vista para o oceano Pacífico. O parque foi inaugurado no Dia dos Namorados de 1993 e é comum
os visitantes recriarem o beijo da estátua principal. Na base lê-se a frase de Juan Parra del Riego «Só tenho na vida o teu silêncio e a tua boca». Entrada livre.

2. BAIRRO DE BARRANCO, LIMA
É o bairro boémio da cidade. Aqui viveu o escritor e jornalista Mario Vargas Llosa (Prémio Nobel da Literatura em 2010). Destaca-se pelas suas casas de veraneio hoje transformadas em restaurantes, galerias e bares com fachadas
desenhadas e coloridas.

3. HUACA PUCLLANA, LIMA
Estas ruínas de uma pirâmide de argila remontam à cultura Lima (período entre os anos 200 e 700 da era moderna). Ficam no bairro de Miraflores e têm quase 1600 anos. O local foi também utilizado pelas culturas Wari e Ishmay para cerimónias fúnebres. Alguns corpos foram aqui encontrados. Aberto de quarta a segunda das 09h às 17h (horário diurno) e de quarta a
domingo das 19h às 22h (horário noturno). Entrada: três euros.
huacapucllana.com

4. MUSEU LARCO LIMA
Só de cerâmica, estamos a falar de 50 mil objetos de várias culturas pré-colombianas. Grande parte foram recolhidos por Rafael Larco Hoyle, que
fundou o museu num imponente edifício do século xviii em 1926. Ouro e joias também fazem parte da coleção, tal como a área dedicada aos objetos eróticos. Aproveite para conhecer o café e o jardim. Aberto de segunda a domingo das 09 às 22h. Entrada: oito euros.
museularco.org

5. BAIRRO YANAHUARA, AREQUIPA
É um dos bairros da cidade de Arequipa, também conhecida como a cidade revolucionária – o Leão do Sul. Aqui, além da igreja de 1730 no estilo barroco mestiço, poderá apreciar um conjunto de arcos de pedra com vista sobre a cidade onde se podem ler frases marcantes sobre o papel interventivo das pessoas que aqui vivem.

6. BAIRRO SAN LÁZARO, AREQUIPA
Percorra as ruas estreitas do bairro mais antigo da Cidade Branca (assim conhecida devido à pedra sillar). Bem no centro histórico, é composto por casas senhoriais, templos, museus, teatros e praças que fazem parte
da denominação de Património Cultural da Humanidade.

7. IGREJA DA COMPANHIA DOS JESUÍTAS, AREQUIPA
Uma das boas surpresas de Arequipa. Grande exemplo da arquitetura mestiça (que combina estilos europeus com a qualidade dos artistas locais), com destaque para a Capela de San Ignacio e seus murais policromáticos a mostrar a fauna e a flora locais. A igreja começou a ser construída em 1590 e foi terminada 108 anos depois.

8. YANQUE, VALE DO COLCA
A pequena localidade tem resistido, ao longo dos séculos, a diversos terramotos, o último dos quais em 2016. Os danos ainda estão bem visíveis na fachada da igreja, na principal praça da localidade. Daqui, a vista para as montanhas em redor é desafogada, em especial para o vulcão Sabancaya, em atividade contínua desde 1986.

9. TEMPLO DO SOL OU QORICANCHA, CUZCO
É o mais brilhante exemplo da arquitetura do tempo dos incas. Construções perfeitas com as pedras a assentar na perfeição sem qualquer tipo de argamassa, graças a um trabalho quase perfeito de encaixes esculpidos na rocha. Dizem os relatos históricos que o templo, no centro de Cuzco, terá sido coberto de ouro e que os espanhóis o terão derretido e transformado em lingotes. Hoje é o Convento de Santo Domingo, combinação entre passado inca e colonial.

10. PUKA PUKARA, CUZCO
A fortaleza vermelha (tradução livre) é uma ruína militar que serviu de ponto de defesa do império dos incas. Está a sete quilómetros de Cuzco e a sua
visita faz parte do bilhete turístico de Cuzco que inclui a entrada em 16 locais.
Bilhete turístico a 34 euros para cidadãos não peruanos.
cuscoperu.com

11. TAMBOMACHAY, CUZCO
Também conhecido por El Baño del Inca, graças à série de aquedutos, canais e quedas de água construídas na rocha. Pode ter servido como sítio militar ou de lazer para a elite do império dos Incas. Está a oito quilómetros de Cuzco e também faz parte do bilhete turístico.

12. PLAZA MAYOR OU PLAZA DE ARMAS, AREQUIPA
Local onde foi fundada a cidade. Aqui poderá encontrar a catedral (construída em 1656 com o sillar, a pedra vulcânica branca típica da região), as igrejas da Companhia dos Jesuítas e da Senhora da Mercê, além das típicas arcadas e de uma fonte em bronze.

13. PARQUE ARQUEOLÓGICO DE PISAQ
Está a 33 quilómetros de Cuzco, no Vale Sagrado, e combina a beleza da paisagem com a imponência e a excelente conservação das construções.
Serviu de defesa da cidade de Pisaq, mas a sua função foi mais agrícola do que militar. Propriedade do Inca Pachacutec, tem socalcos, casas, estruturas cerimoniais e aquedutos, além de uma extensa muralha, pontes, cemitério e túneis. Tire a manhã para uma visita, mas chegue cedo para evitar grandes
aglomerações de pessoas. Aberto de segunda a domingo das 07h às 18h, entrada incluída no bilhete turístico.

14. PLAZA DE ARMAS, CUZCO
É difícil explicar o encanto da praça principal da capital do antigo império dos incas. Se a cidade é o umbigo do mundo, a Plaza de Armas é o ponto nevrálgico e energético. Além dos tradicionais edifícios com arcadas e varandas de madeira, tem a catedral, a igreja dos Jesuítas e uma fonte que homenageia os indígenas que tornaram a região famosa. Foi aqui – e está
assinalado o local – que Túpac Amaru (líder indígena) foi executado em 1781.

15. PLAZA MAYOR OU PLAZA DE ARMAS, LIMA
É o espaço mais antigo da capital. A cidade foi aqui fundada pelo conquistador
espanhol Francisco Pizarro em 1535 e no local é possível encontrar a Catedral de Lima (estilo neoclássico, século xvi) e o equivalente à câmara
municipal, bem como a fonte em ferro datada de 1650. Neste mesmo local histórico, José San Marti proclamou a independência do Peru em 1821. Ao fim de semana é normal ver casais de noivos e debutantes de 15 anos (as
famosas quinceañeras) a serem fotografados vestidos a rigor.

16. MIRADOURO DO CRISTO BRANCO, CUZCO
Sobre a cidade de Cuzco, permitindo uma vista singular sobre o centro histórico. A estátua de Jesus Cristo tem oito metros de altura e foi oferta dos palestinianos que aqui encontraram refúgio depois da II Guerra Mundial. Projeto do artista local Francisco Olazo Allende instalado num local simbólico
para os incas – a colina de Pukamogo. Fica a dez minutos do sítio arqueológico de Sacsayhuaman. A visita aos dois pontos pode ser combinada numa só excursão.

17. MUSEU INKARIY, VALE SAGRADO
Projeto iniciado em 2002 e já é um dos espaços museológicos mais visitados do Peru. No seu interior não vai encontrar relíquias ou artefactos valiosos, mas antes uma explicação – através de oito salas – de como o império dos
incas chegou ao seu apogeu. Ideal para ficar a conhecer as civilizações pré-incas e a sua importância para o desenvolvimento social, intelectual e religioso da região. Aberto de segunda a domingo das 09h às 17h. Entrada: nove euros.
museoinkariy.com

18. MAP, CUZCO
O Museu de Arte Pré-Colombiana é muito mais do que um espaço de mostra do passado. É também um edifício histórico e restaurante de vanguarda na cidade. A sala de refeições, envidraçada, está no pátio exterior. Lá dentro,
artefactos arqueológicos provenientes do Museu Larco de Lima (a casa mãe) do período entre os anos 1250 a.C. e 1532. Aberto de segunda a domingo das 09h às 22h. Entrada: cinco euros.
map.museolarco.org

19. SACSAYHUAMAN, CUZCO
Cidadela nos arredores de Cuzco cuja construção remonta a 1100. O complexo ganhou terreno durante o século xiii graças à influência inca. A monumentalidade da construção, enormes pedras sobrepostas, dá-lhe um cariz único. Visita a não perder por estas paragens. Este local distinguido pela UNESCO em 1983 como Património da Humanidade está a mais de três mil metros de altitude.

20. Q’ENQO, CUZCO
Fica a quatro quilómetros de Cuzco este local de culto que também é sítio arqueológico com 3500 metros quadrados. As pedras esculpidas formam
um pequeno labirinto.

Natureza e aventura

21. LAGO TITICACA
Está a 3820 metros de altitude e é o lago navegável mais alto do mundo. Faz fronteira entre o Peru e a Bolívia, tem 170 quilómetros de comprimento e uma largura máxima de sessenta quilómetros. Puno é a cidade que pode servir de base à descoberta do local onde, diz a lenda, terão nascido os
primeiros incas.

22. MIRADOURO CARMEN ALTO, AREQUIPA
Fica a seis quilómetros do centro de Arequipa e é um dos locais onde melhor se entende a morfologia do terreno e a importância da montanha nesta região do país. Além da vista sobre os campos de cultivo, o vale do rio Chili e os vulcões que rodeiam a cidade, poderá beber um chá quente e comprar produtos locais.

23. MIRADOURO CRUZ DEL CONDOR
Todos os dias, entre as oito e as oito e meia da manhã, centenas de visitantes aglomeram-se neste miradouro do vale do Colca. É aqui que os condores iniciam os seus voos, aproveitando as correntes de ar quente para se manterem a planar pelos ares. O momento é inesquecível e são muitas as
hipóteses de locais para conseguir a melhor fotografia.

24. RESERVA NACIONAL DE SALINAS E AGUADA BLANCA
Em plena cordilheira vulcânica, à saída de Arequipa e em direção ao vale do Colca, encontramos esta reserva da natureza onde não faltam alpacas e vicunhas em estado selvagem. Aproveite para descobrir as zonas húmidas
com flamingos e outras aves nesta área de quase 370 mil hectares. Os vulcões Misti e Chachani são visíveis em grande parte do percurso.

25. VALE E DESFILADEIRO DO COLCA
É das mais impressionantes paisagens que irá encontrar no Sul do Peru. Fica a 160 quilómetros de Arequipa e é um dos destinos mais procurados por quem visita o país. No ponto mais profundo, o desfiladeiro ultrapassa os 4000 metros de profundidade (duas vezes mais do que o Grand Canyon dos EUA). Neste vale, que tem sido povoado desde o período pré-inca, existem milhares de socalcos – terraços agrícolas – que marcam a paisagem montanhosa. As estradas sinuosoas também convidam à aventura, seja em automóvel, a pé ou de bicicleta.

26. MIRADOURO DOS ANDES
Está a 4910 metros de altitude e é o ponto mais alto a que a estrada passa neste percurso pelo Sul do Peru. A vista para dez vulcões, o ar rarefeito e as
centenas de apachetas (montes de pedras para pedir desejos na alta montanha) tornam o lugar de paragem obrigatória.

27. ILHAS FLUTUANTES
Uros é o nome pelo qual são conhecidas as ilhas flutuantes do lago Titicaca. São ilhas artificiais construídas pelos habitantes locais recorrendo a juncos e
raízes. Cada uma tem um prazo de validade que ultrapassa os 90 anos. As famílias que aqui vivem subsistem graças à pesca, caça aos patos e turismo. Na visita às ilhas, prepare-se para a compra de artesanato. Os valores estão
claramente inflacionados.

28. LAGUNILLAS
A caminho de Puno, quando as dores de cabeça se fazem sentir e o cansaço toma conta do organismo, há que parar nesta lagoa à beira da estrada. A sugestão é a de fazer um piquenique para tornar a viagem menos complicada. Há mesas e bancos à disposição, bem como vendedores de
artesanato para trocar dois dedos de conversa.

29. INCA TRAIL
É uma das experiências mais procuradas por quem visita o Peru. Fazer o Caminho Inca e chegar a Machu Picchu faz parte do sonho de muitos viajantes, mas prepare-se para as más notícias: a lista espera ultrapassa os três meses. Antes de marcar voo, certifique-se de que possui autorização para fazer este trekking. A duração varia de acordo com o desejo do cliente
e requer uma condição física assinalável. Além do Inca Trail, há outras opções que não seguem à risca o mesmo percurso, mas que passam por paisagens igualmente deslumbrantes antes de chegar a Machu Picchu. Programas de trekking com alojamento e refeições a partir de 150 euros.
incatrailperu.com

30. PANAMERICANA
A Panamericana é um sistema de estradas com cerca de 48 mil quilómetros que liga a quase totalidade dos países do continente americano. No Peru, percorre toda a costa, é totalmente asfaltada e passa por paisagens desérticas e vales agrícolas. Nesta viagem pelo Sul, é possível percorrê-la em Lima, Arequipa, Ica ou Nazca.

31. ILHAS DE AMANTANÍ E TAQUILE
São duas das ilhas – não artificiais – mais visitadas no lado peruano do lago Titicaca. Na primeira há várias possibilidades de alojamento, com direito a refeições e festa tradicional, bem como caminhadas até locais de adoração de
Pachamama. Na segunda, o artesanato está bem presente, tal como a agricultura no seu sentido mais primário. Aqui ainda se ara a terra com a ajuda de gado bovino.

32. ADRENARENA
No Sul do Peru, em Paracas, além de se poder apanhar o avião para sobrevoar as linhas de Nazca, vai poder usufruir do deserto onde irá passar mais uma edição do Dakar na América do Sul. Passeios de buggy, aventuras em sandboard e apreciar o pôr do Sol com uma cerveja gelada na mão são
algumas das opções de aventura e emoção.
facebook.com/Adrenarena.pe

33. ILHAS BALLESTAS
Este conjunto de ilhas rochosas está a meia hora de barco da costa de Paracas (260 quilómetros ao sul de Lima). São conhecidas pela sua riqueza
natural e pela fauna marinha. Aves como o piquero ou os pinguins de Humboldt são estrelas da companhia.

34. LAGOA DE HUACACHINA
É um oásis a cinco quilómetros da cidade de Ica, em pleno do deserto costeiro junto ao oceano Pacífico. Nos últimos anos transformou-se num ponto turístico onde se destacam o verde-esmeralda da lagoa e a existência de palmeiras e eucaliptos.

Moda e artesanato

35. MUSEU MATE
Mario Testino é um dos fotógrafos de moda mais famosos do mundo. Tem 63 anos, é peruano e em Lima está o seu museu, no distrito de Barranco. O MATE abriu em 2012. Lá poderá ver a obra de Testino, mas também trabalhos de design e fotografia de artistas peruanos e internacionais. Além das imagens icónicas, destaque para a sala com exposições temporárias
dedicadas aos Mestres da Fotografia. Aberto de terça a domingo das 10h às 19h. Entrada: 2,5 euros.
mate.pe

36. CAMELÍDEOS
Alpacas, lamas, vicunhas e guanacos são as espécies de camelídeos que irá encontrar no Peru. Os lamas são os maiores e mais fortes (até 150 quilos e
dois metros de altura); as alpacas são menores (até 60 quilos) e a sua lã é bastante procurada para confeção de roupa; as vicunhas são as rainhas da lã. Medem até metro e meio, pesam até 40 quilos e a sua fibra de lã é a mais fina do mundo, tendo grande valor comercial. Um cachecol de vicunha pode
chegar facilmente aos mil euros; o guanaco tem entre 1,20 e 1,50 metros e pode pesar até 150 quilos. Adapta-se a grandes altitudes (acima dos 5000 metros).

37. MUNDO ALPACA MICHELL
Na loja de Arequipa poderá ter um vislumbre de todo o processo de produção das alpacas deste grupo têxtil, considerado o maior do Peru. Tem mais de 85 anos de experiência e é sinónimo de qualidade no país. Boa opção para compras.
mundoalpaca.com.pe e michell.com.pe

38. PROJETO WANA KANCHA
Este centro de tecelagem a caminho do Vale Sagrado mostra as várias fases de produção de lã, do animal ao produto final. Interaja com os camelídeos e descubra alguns artigos para compra que não vão estar à venda em mais
nenhum local da viagem. Atenção, não é permitido tirar fotografias aos produtos.

39. PISAQ
Além do mercado de produtos alimentares, as ruas de Pisaq oferecem outro tipo de bancas comerciais: artesanato, vestuário e adereços como colares, pulseiras e gorros. Regateie até mais não, exceto se o preço estiver marcado.

40. CERÂMICA PABLO SEMINÁRIO
A oficina, loja e atelier do conceituado artista peruano localizam-se em Urubamba, no Vale Sagrado. Se procura uma recordação única, aposte nesta
arte nativa contemporânea. Os motivos são mágicos. ceramicaseminario.com

41. SEMANA DA MODA DE LIMA
Todos os anos, a moda peruana tem esta passerelle privilegiada. Por aqui passam os principais criadores nacionais e os produtos têxteis.
lifweek.pe

Misticismo e tradição

42. MUSEU SANTUARIOS ANDINOS, AREQUIPA
Juanita, a menina do gelo, é a grande figura deste museu de Arequipa. O corpo congelado da criança de 12 a 15 anos, sacrificada algures entre os anos 1450 e 1480, está em exposição, bem como uma série de artefactos
desse tempo dos incas. O corpo foi encontrado em 1995 na montanha de Ampato e foi um acontecimento para o mundo científico graças ao excelente
estado de conservação. Aberto de segunda a domingo das 09h às 18h (ao domingo até às 15h). Entrada: cinco euros.
ucsm.edu.pe/museosantuarios-andinos

43. OFERTA A PACHAMAMA
Se tiver a oportunidade, recorra a um xamã local e peça a sua ajuda para glorificar a deusa Terra. O processo é simples e passa por escavar um buraco
no chão onde são colocados alimentos, estatuetas, doces, um sucedâneo de vinho do porto e folhas de coca. Respeite o ritual e fique a perceber a importância de Pachamama na vida quotidiana dos peruanos.

44. AMARU, VALE SAGRADO
Nas imediações de Pisaq, uma pequena comunidade rural recebe visitantes estrangeiros para mostrar como se vive nas montanhas andinas. O primeiro
passo é vestir-se com trajes típicos, depois vem o chá de coca e um passeio pelos inclinados campos de cultivo. Mascar folhas de coca também faz parte do programa, tal como o almoço.

45. OLLANTAYTAMBO
Cidade e fantástico sítio arqueológico a 72 quilómetros de Cuzco. Está a cerca de 2900 metros de altitude e foi propriedade e centro cerimonial do Inca Pachacuti. Daqui sai o comboio para Aguas Calientes e Machu Picchu, bem como as rotas que levam ao Trilho Inca.

46. BELMOND HIRAM BINGHAM
De Aguas Calientes (agora conhecida por Machu Picchu Pueblo) para Cuzco são cerca de quatro horas de viagem mas a mais luxuosa é o Belmond
Hiram Bingham, que oferece um serviço de tudo incluído, com jantar, animação e bar aberto.
belmond.com

47. LINHAS DE NAZCA
Por cerca de 85 euros, prepare-se para uma das viagens da sua vida. As enigmáticas linhas de Nazca estendem-se por 500 quilómetros quadrados, são mais de 800, 300 figuras geométricas e 70 representações de animais e
de plantas. Começaram a ser criadas há cerca de 3000 anos e são várias as teorias que defendem a sua existência. O voo tem a duração de pouco mais de uma hora e não é aconselhável a estômagos sensíveis.
aerodiana.com.pe

48. MACHU PICCHU
Palavras para quê? A cidade perdida, o local mais visitado do Peru, uma das Sete Maravilhas do Mundo. Ir ao Peru e não conhecer este local deveria ser considerado crime. O elevado número de visitantes faz que existam dois turnos de visita (de manhã e à tarde) e um percurso rígido a seguir. Dica preciosa: chegue cedo e lembre-se de que tem a possibilidade de sair e voltar
a entrar apenas uma vez. Aberto todos os dias das 06h às 16h. Entrada para não peruanos: 60 euros.
boletomachupicchu.com


Info

Moeda: Sol (PEN) 1 euro – 3,80 PEN
Fuso horário: GMT – 6
Idioma: Castelhano e Quechua


Agradecimentos:


Veja também:
Natureza a aventura no Peru (Episódio 1 – RTP3)
Moda e artesanato do sul do Peru (Episódio 2 – RTP3)

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.