Os gritos das crianças pequenas durante um voo tornam-se incomodativos para muitas pessoas. Mas será que há alguma coisa que os outros passageiros possam fazer?

Na verdade, a forma como as companhias aéreas, os pais e a tripulação lidam com estas situações foi sempre um tema controverso.

A última polémica aconteceu em março quando um vídeo que mostrava um homem e a sua filha a serem expulsos de um voo da Southwest Airlines se tornou viral. A razão foi o facto de a criança ter feito uma birra durante o embarque. A Southwest Airlines informou que a família foi colocada no voo seguinte, depois de uma discussão a bordo entre os passageiros ter começado. A tripulação e a Southwest foram bastante criticados nas redes sociais pela maneira como lidaram com o incidente.

Hoje a ideia de as companhias aéreas introduzirem «zonas livres de crianças» está a ganhar cada vez mais força. Mais da metade dos 4000 viajantes entrevistados em 2017 disseram que as famílias com crianças com menos de 10 anos deveriam ser obrigadas a sentar-se numa secção separada do avião.

Como culpabilizar alguém – sejam os pais, as crianças ou as tripulações – nunca foi solução, o Business Insider pediu a alguns comissários de bordo para darem conselhos de como lidar com a situação.

A companhia aérea não pode fazer grande coisa

«As companhias aéreas não conseguem lidar com crianças mal-educadas. Além de pedirem aos pais para que as crianças falem mais baixo, se sentem ou não incomodem os passageiros da frente ou de trás, não há realmente nada que se possa fazer».

Os comissários de bordo podem compensar os passageiros próximos das crianças

«Se um passageiro estiver a sentir-se desconfortável durante todo o voo, deve pedir aos comissários de bordo para os mudarem de lugar».

«Peça para mudar de lugar se existir algum livre, use tampões para os ouvidos, e beba um copo de vinho. A tripulação vai ajudá-lo com isso.»

Informe a companhia aérea

«Se o voo estiver cheio e não houver a possibilidade de mudar de lugar, informe a companhia aérea quando chegar ao destino ou quando regressar de férias, explicando a situação. Pode ser que lhe ofereçam crédito para um próximo voo».

Deixe os pais lidarem com a situação

«Os pais devem levar consigo brinquedos, entretenimento e comida para as crianças».

Os pais devem viajar preparados

«Como aconteceu com um tio que acabou de viajar com o seu sobrinho de dois meses, a melhor estratégia para voar com um bebé é alimentá-lo e adormecê-lo antes de o avião descolar – e ter certeza de que tem uma chupeta para ajudar a desentupir os ouvidos».

E os outros passageiros também

«Os passageiros devem ter fones para ouvirem música ou assistirem a um filme».

«Não se esqueça de trazer tampões para os ouvidos e uma venda para os olhos. Não há muito que se possa fazer para além de pedir educadamente aos pais para tentarem que os filhos façam menos barulho».

Zonas livres de crianças provavelmente não funcionariam

«Mesmo se existisse uma zona livre de crianças dentro do avião, acabaria por estar à mesma sentado dentro do mesmo espaço. Seria impossível fechar uma área por razões de segurança».

Possivelmente não seria justo

«Os pais não devem sentir-se de parte por terem uma criança. Aliás, por vezes os problemas e o barulho começam verdadeiramente com as pessoas que se sentem incomodadas, que podem tornar-se ainda mais inconvenientes.»

Por último, é preciso muita calma e paciência

«Todos temos de ser pacientes uns com os outros. Se um pai não consegue, quem conseguirá controlar os gritos de uma criança?»

«Os bebés choram – faz parte da vida. E, por vezes, não há mesmo nada a fazer. Sejam mais compreensivos com as mães e com pais».

Esta é a verdade sobre a comida a bordo dos aviões


Veja também:
Devemos bater palmas depois de uma aterragem?
11 factos inacreditáveis sobre o mundo da aviação

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.