No dia em que recebemos a notícia da sua morte, recordamos o que o chef, escritor e apresentador de televisão Anthony Bourdain apontou como principais erros cometidos pelos viajantes.

Em março deste ano, Anthony Bourdain contou à revista Money os principais erros cometidos pela maioria dos viajantes. Viajar até Paris apenas para subir à Torre Eiffel? É mau para a alma de qualquer um. E uma selfie em frente das pirâmides de Gizé? Completamente ultrapassado.

O famoso chef e viajante acreditava que era impossível conhecer a magia de um lugar, se uma pessoa se restringisse às atrações principais. Bourdain queria mudar a forma como vemos o mundo. Por isso, recomendava que se fugisse das armadilhas para turistas, das filas e das viagens demasiado planeadas.

«O tempo necessário para fazer a visita guiada e para ver toda a paisagem mantém-no numa bolha que impede que a magia aconteça. Nada de inesperado ou de maravilhoso irá acontecer se tiver um itinerário planeado em Paris, cheio de atrações como o Louvre e a Torre Eiffel», contava na entrevista.

Uma alternativa? Seja você mesmo quando viaja. Aos 61 anos, quando explorava um novo lugar, Anthony não perdia muito tempo em tentar saber onde comer ou quais os museus onde ir. Em vez disso, estava muito mais interessado em ter uma noção do ritmo, dos cheiros e dos sabores de um lugar, uma tarefa que exige paciência e disposição.

Escolha um destino e fique lá durante alguns dias – o tempo suficiente para absorver o «sabor» local. Ao planear as suas férias, Bourdain reservava o hotel antes de qualquer outra coisa. «O quarto de hotel é a base das operações: tem de ser confortável e num bom local para passear.» Até sempre!

Recorde a entrevista que o chef Anthony Bourdain deu à revista Evasões.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.