Agora é possível dormir em cabinas de charme um pouco por toda a Bélgica. Os hóspedes reservam os dias, mas eles é que escolhem a localização.

Os hotéis pop up (temporários) estão na moda desde há alguns anos. A Bélgica nunca esteve propriamente entre os destinos mais entusiasmantes do mundo – o facto de ser a sede do Parlamento Europeu dá-lhe uma aura ainda mais cinzenta – mas agora há uma série de cabinas de charme que prometem ajudar a dar uma nova alma ao país.

Slow cabins móveis, de madeira e decoração escandinava que remetem para um ritmo de vida mais lento. Não há televisão nem internet, por exemplo. Mas há muita luz (são alimentadas a energia solar), muito vidro e localizações de eleição, quase sempre em espaços verdes, bucólicos (veja a fotogaleria acima).

Sim, são manifestamente exageradas as notícias da falta de beleza do país. Só isto já valeria a pena a experiência, a verdade é que há um elemento surpresa que empresta um encontro extra. A localização só é conhecida depois de feita a reserva. Tanto pode ser perto de Brugges como de Antuérpia. Estranho? O país é pequeno e sempre é uma boa desculpa para explorá-lo de uma ponta à outra.

Preço:
A partir de 175 euros por noite. Há dois tipos de cabina: com capacidade para duas ou até cinco pessoas. Consulte mais informações no site do projeto.

Amesterdão está a transformar antigas casas da ponte em suites


Veja também:
Copenhaga cria ilhas artificiais que funcionam como espaços públicos
Acha que já viu tudo? Leia estas reclamações dos turistas depois das férias

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.