A Mercer, empresa especializada em consultoria, acaba de lançar um ranking com as cidades mais caras do mundo para viver. Conheça-as na fotogaleria.

O estudo global da Mercer sobre o Custo de Vida deste ano (Cost of Living Survey), divulgado na passada segunda-feira, 25 de junho, «inclui 209 cidades em cinco continentes e determina o custo comparativo de mais de 200 itens em casa local, incluindo alojamento transporte, comida, roupa, bens domésticos e entretenimento», lê-se em comunicado.

Neste ranking, Lisboa – a única cidade portuguesa presente no estudo – registou a maior subida de sempre (subiu 44 posições face ao ano passado), ocupando atualmente a 93ª posição da lista que reúne as cidades mais caras do mundo em termos de custo de vida.

«Os fatores que motivam esta subida são maioritariamente decorrentes de variações do euro face ao dólar, mas refletem também uma subida de preços generalizada da cidade nas áreas da habitação, restauração e combustíveis», explica a Mercer, em comunicado.

O estudo da Mercer – que utiliza Nova Iorque, EUA, como cidade base e o dólar norte-americano como referência – é um dos mais abrangentes do mundo e foi desenvolvido para ajudar as empresas multinacionais e os Governos a definirem estratégias.

Percorra a fotogaleria acima para ficar a conhecer as dez cidades mais caras do mundo para viver, de acordo com o top lançado pela consultora.

Estas são as cidades mais caras e as mais baratas para beber cerveja


Veja também:
As cidades na Europa mais baratas para viajar
As melhores cidades para os millennials viverem em 2018

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.