Os espanhóis são conhecidos pela sesta que fazem depois do almoço – as lojas fecham habitualmente depois das 14h e parece que tudo pára para umas horas de sono -, e por jantarem tarde – muitas vezes a partir das 23h -, ao contrário da maioria dos restantes países europeus.

Uma possível justificação para estes hábitos tardios é o facto de Espanha viver, há 76 anos, com uma hora a mais no relógio.

Em 1941, o chefe de Estado Francisco Franco, que instaurou uma ditadura em Espanha durante 39 anos, decidiu mudar o horário de Espanha para o mesmo de Berlim (acrescentando mais uma hora), de maneira a demonstrar solidariedade para com Adolf Hitler.

Mesmo depois do fim da Segunda Guerra Mundial, Espanha não regressou ao horário anterior e a que pertence. Tal como Portugal, Espanha deveria ter a hora de Greenwich (GMT).

Apesar de muitos europeus estranharem que os espanhóis almocem às 14h, a verdade é que eles estão, na realidade, a almoçar às 13h. E como fazem uma sesta à tarde, a hora de saída do trabalho – em média, os espanhóis saem dos empregos às 19h ou 20h – e a hora do jantar acabam por atrasar.

Em abril de 2016, o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, anunciou um plano para melhorar as condições de trabalho e determinar o fim da jornada laboral às 18h. Caso a Espanha regressasse ao horário de Greenwich, este problema poderia ficar resolvido.

O governo espanhol já falou no assunto e apresentou o mês de março de 2018 como possível data para a mudança.

Por Mafalda Magrini – Fotografia Direitos Reservados

Veja também:
Praias em Espanha para ir de férias aqui ao lado
Viagem às Astúrias: gastronomia, património e natureza (Episódio 1 – RTP3)

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.