A Comissão de Património Mundial da UNESCO declarou hoje a cidade velha de Hebron, na Cisjordânia, «zona protegida» enquanto «local de valor universal excecional».

A inclusão de Hebron na lista teve 12 votos favoráveis, seis abstenções e três votos contra.

Para ser incluído na lista da UNESCO – a Organização para a Educação, Ciência e Cultura da ONU -, um local tem de ser votado favoravelmente por pelo menos 10 membros da Comissão, que se reúne em Cracóvia, no sul da Polónia.

A classificação de Património Mundial é atribuída a locais considerados de importância única para o mundo e a humanidade, e determina o estabelecimento de medidas que garantam a sua preservação.

Lusa


Veja também:
Cisjordânia: uma viagem com aventura, longe de conflitos
Este hotel tem a pior vista do mundo, mas não faltam viajantes