Royal Air Maroc encomendou novos aviões e quer ser líder em África

A companhia aérea marroquina Royal Air Maroc (RAM) anunciou que encomendou quatro aviões 787-9 Dreamliner ao fabricante norte-americano Boeing, com um custo de 1.100 milhões de dólares.

Os novos aviões, que reduzem as emissões de carbono em 20% em relação a outros modelos semelhantes, vão servir para expandir os serviços da Royal Air Maroc (RAM) a nível internacional, anunciou a companhia aérea em comunicado.

No documento, a companhia aérea marroquina explica que dois dos aviões foram adquiridos em dezembro de 2016 e outros dois em dezembro deste ano.

Com os novos aviões, a RAM possui um total de nove aeronaves 787, que operam na rota entre Casablanca e América do Norte, América do Sul, Médio Oriente e Europa.

O presidente da RAM, Abdelhamid Adou, afirmou que a empresa tem voos diretos para 80 destinos internacionais e enfatizou que, com os novos aviões, reforçará a sua presença no continente africano.

“Com 850 voos por mês para a África, a RAM é a empresa com maior presença no continente. O nosso objetivo é posicionarmo-nos como a companhia aérea líder em África em termos de qualidade de serviços. A aquisição destes aviões de nova geração confirma que estamos no caminho certo para alcançar o nosso objetivo”, defendeu.

Lusa

Marrocos: Saïdia é o seu próximo destino de praia


Veja também:
Marrocos testa o comboio mais rápido de África, previsto para 2018
TAP passa a voar para Fez, em Marrocos